sexta-feira, 21 de agosto de 2015

LIBERDADE



Por longas horas, por infinitas noites te esperei,
Todos os dias tenho te esperado.
Mas tu não vens, permaneces calada.
Sondei-te no espaço, por todo o firmamento
Tu eras surdo ou mudo, e eu nos dias não achava contentamento.
Sempre te procurei sempre te procuro.
Aonde estais?  Nas estrelas, no ar, no escuro?...

Passaram-se os anos
Meu cabelo embranqueceu.
Olhei, olho outros humanos:
Igual a mim, nenhum te conheceu.

*AlexMaciel

Nenhum comentário:

Postar um comentário