quinta-feira, 21 de maio de 2015

A ESTRELA



Querida, amada estrela!
Que toda a noite vejo a brilhar.
Tu, onde quer que eu esteja,
A minha vida sempre irá testemunhar.
Contigo compartilho minha existência,
Minhas lutas, minhas dores e amores.
Tu, impassível, serena, benfazeja,
Nada diz, apenas segues a brilhar.
Querida, amada e única amiga!
Sabes do meu sofrer, dos meus rancores?
Essa vida passageira, que nada preserva,
Faz-nos passageiros, eternos desconhecidos;
Mas, o homem, tolo e ingênuo,
Vive a vida a tentar se eternizar.
Tu, ó bela estrelinha! Tu sabes:
Apenas os deuses são eternos
 E todos os seres desta terra irão morrer...
Porque então ainda brilhas assim, tão inutilmente,
Alegrando e trazendo beleza a este pálido ponto azul?...


Sinto-me pequeno, inútil ante ti.
Mas tu, a brilhar e prosperar
Me conforta com tua luz:
De ti sou feito,
Filho teu sou;
E, após morrer,
Em ti me converto,
Assim como todo ser que por aqui passou.

*AlexMaciel

Nenhum comentário:

Postar um comentário