sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CIDADE


Escura, sombria, baixa, vazia.
Cheia de vida, luz, riso, magia.
Sem cessar... noite e dia, noite e dia.

Os homens, os animais, o amor, a alegria,
A dor, a solidão, a fuligem, a vida,
Os arranhas-céus, os atos, os fatos;
O Limpo, o puro, o belo,
Os becos, a baixaria, o sórdido, a apatia.
O sofrimento que invade, o crime, o sexo,
Os dramas que arrastam,
Sempre... noite e dia, noite e dia.

Linda, bela, pura cidade,
Centenária cidade!
Tu pulsas, tu é a vida!
Um organismo vivo, eterno,
Sem mudar... noite e dia, noite e dia.

Numa sinfonia feroz, selvagem,
Numa guerra interna, sangrenta, sem fim.
Procurando a purificação, a alegria,
A harmonia dos iguais.
Até o fim... noite e dia, noite e dia.

*AlexMaciel

Nenhum comentário:

Postar um comentário